food, art & spirits

food, art & spirits

sábado, 14 de abril de 2012

vermelho, red, rouge

Post parisiense não publicado por erro do usuário....

Paris, 23 Janvier 2012.

Meu francês me fez falta hoje. Ou melhor, corrigindo - a falta do domínio da lingua de Mallarmé se manifestou mais forte hoje. Se eu estivesse estudado mais esta língua que admiro profundamente, conseguiria explicar ao mâitre que a carne estava apenas razoável, pois tinha gordura em demasia (admiro gordura, mas não quando ela é o componente dominante) de uma forma mais "polida" - apesar de ter elogiado as batatas, impecáveis. Pensei em agradecer pelo pote de mostarda Dijon - ô maravilha! - mas fiquei receoso de ser novamente mal interpretado. A chef se mata fazendo um coté du boeuf e eu elogio a mostarda?


Ao meu lado, um senhor provavelmente habituée do lugar, chama o garçom pelo nome e pede um corte especial para sua carne. Ele lê um livro estranhíssimo, me deu vontade de saber exatamente do que se trata - Paris 100 crimes oubliés.

Pensando bem, ele tem cara de serial killer...À direita, uma mulher também sozinha (subitamente me sinto personagem de um quadro de Hoper - um bando de solitários...) com um inusitado vestido vermelho fazendo composée com o sofá e as paredes vermelhas. Inusitado pois sempre considerei que vestidos vermelhos fossem a epítome do sexy, do sedutor, diáfanas personagens passando pelo red carpet. Mas não com minha vizinha de mesa - ela usava um vestido vermelho de lã grossa, mangas longas, discretíssimo decote, comprimento da saia abaixo do joelho e um par de botas de cano alto e salto baixo, quase se mimetizando com o fundo do dècor. A antítese do sexy, que ao sair da mesa foi substituida por um casal igualmente vermelho - o rapaz, um jovem Gerard Depardieu magro de nariz proeminente e cabelos revoltos, portando uma belíssima jaqueta vermelha. Sua acompanhante lembrava uma fresca Charlotte Rampling, de dedos longos e olhos expressivos e aquele cuidadosamente desalinhado cabelo das francesas - parece que foram todas ao coiffeur e receberam uma súbita rajada de vento à porta do salão. Seu cabelo era rubro, como também eram rubras as cortinas do restaurante, os porta-velas e a taça à minha frente, contendo um excepcional  Borgogna.  Eu leio -ou melhor, tento ler -  L´initiation D´un Homme, de John dos Passos.

Envolto em tanto vermelho, me lembro do cantor ruivo Daniel Merriweather, que adoro. E de uma piada particular de uma grande socialite carioca, que morava em um ambiente todo vermelho feito com maestria pelo arquiteto Luiz Fernando Redó. Ao dar uma reunião em casa, recebeu um convidado (não muito elegante em minha opinião) que falou - "...noossa, tudo vermelho? me sinto no próprio inferno!" - no que recebeu de resposta da dona da casa "Você tem razão. E está falando com o diabo em pessoa."
Touché. 

14 comentários:

  1. Amei a música, o cenário, os livros, amei tudo! E qual era o bistrô onde se passou esta cena?
    Beijokas
    Lucia

    ResponderExcluir
  2. E amei o humor da socialite carioca também!
    Lucia

    ResponderExcluir
  3. Mas John dos Passos em francês? Deve ser só para contrariar... rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e eu que achei que era uma pista para Johnny Walker? rsrs

      Excluir
  4. wair, obrigado pela visita ao raileronline. espero que consiga ver o filme 'a outra terra' e depois me conte o que achou, ok?

    sobre a postagem, divertida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ainda não consegui ver o filme, mas obrigado. abs

      Excluir
  5. Olá Wair!

    Obrigado pela visita lá no Hora Minuto, ops, 365 palavras! Apareça mais vezes!

    E curti seu blog, tanto que já seguindo. Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Viajei até o Marais... Delícia de texto!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tks...mas foi em Saint Germain, na Rue du Cherche Midi. Forte abraço!

      Excluir
  7. Vim te conhecer e curti muito o seu blog... Parabéns!!!
    Abraços, Irene

    ResponderExcluir
  8. Olá, ficou feliz com seu doce de goiaba?

    que bom, eu também!

    Adorei as cenas en "rouge",

    Bonne journée!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renata, eu fiquei felicíssimo. Quem não gostou foi meu guarda-roupas...
      merci beaucoup!

      Excluir
  9. muito chic tudo isto, amei!!!
    bisou
    karen

    ResponderExcluir
  10. Eu nasci no país errado... Tenho certeza disto!

    ResponderExcluir