food, art & spirits

food, art & spirits

sábado, 10 de novembro de 2012

química - ou "it´s going to be a bumpy night"


Química é uma ciência baseada na instabilidade. Uma gotinha a menos disto aqui, um segundo a mais do tempo previsto ou a mínima variação de temperatura e KABOOOOOM! Explosão na certa.
E a química para uma reunião perfeita é ainda mais difícil de ser controlada : alguém fala uma bobagem inocente mas de repercussão imprevisível (como no vídeo de All About Eve acima, em uma das mais clássicas frases do cinema), bebida quente e/ou faltando, qualquer deslize pode transformar a idéia de uma noitada perfeita em um remake de "Nightmare in Elm Street". 
Esta semana fomos convidados para um jantar informal na casa de dois amigos recentes mas especiais - Sr. N e Sr. O. Questionando sobre se era um jantar sentado, ouvimos a resposta de que seria informalíssimo, onde um amigo deles faria uma massa, coisa de se conversar na cozinha - ou seja, tudo o que gosto.
Chegamos e a casa estava arrumadíssima, já cheia de enfeites natalinos e uma imponente árvore de Natal parecia estar recepcionando os convidados. Fui direto para a cozinha, onde um italiano (o tal do amigo) preparava bruschettas deliciosas servidas por sua visivelmente apaixonada namorada brasileira. Um excelente vinho tinto, cuja marca me esqueci, me foi servido imediatamente, tendo ao fundo a voz de Piaf.
Chegaram mais dois casais - éramos onze ao todo - e a bebida rolando, o papo solto e informal, novas amizades sendo feitas, os anfitriões super à vontade porém atentos a tudo, e na hora certa uma massa perfeita e original, com pedaços minúsculos de linguiça, funghi porcini e trufas negras. 
(Olha a cara do prato, aliás, numa belíssima porcelana...)
Não me fiz de rogado e ainda aceitei um repeteco, pois o prato estava delicioso - deixar o convidado tão à vontade a ponto de repetir o prato é uma ciência delicada, conduzida neste caso com maestria e muita simpatia. Seguiu uma sobremesa ótima, e quando perguntamos a um dos donos da casa quem tinha feito, ele respondeu de pronto - "não tenho idéia, eu só fiz o cheque...", arrancando risadas dos presentes frente à sua desconcertada franqueza.
Voltamos para casa alimentados de corpo e espírito, lembrando de uma outra reunião na casa de conhecidos, onde o excesso de pompa e circunstâncias transformou o tempo numa unidade incomensurável, pois a noite não passava...os minutos eram décadas, e os silêncios constrangedores. Eu mesmo já errei a mão em algumas reuniões em casa, onde a pretensão de querer ser perfeito resultou numa química errada.
Mário Quintana disse certa vez a respeito de reuniões sociais que "...o excesso de gente me impede de ver pessoas." Concordo com ele.

8 comentários:

  1. Adoro massas(por sorte meu metabolismo é ótimo, rsrsr)...e receber bem com cordialidade, deixando todos a vontade é realmente uma ciência.
    Bom domingo Wair.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Margot, veja o próximo post - ainda no capítulo massas...
      Beijos!

      Excluir
  2. inveja branca de vc nesta hora ... q delícia isto ...

    bjão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo, estava bom mesmo...quem sabe da próxima? Os anfitriões são ótimos. abs

      Excluir
  3. Wair:

    Adoro massa e adoro gente...rs (mas claro que reuniões de pequeno porte tem a capacidade de nos fazer interagir mais e melhor mesmo).

    Linda semana, querido.

    ResponderExcluir
  4. Ai que inveja branca tambem...adori! Bjs
    Bea

    ResponderExcluir