food, art & spirits

food, art & spirits

terça-feira, 24 de setembro de 2013

eles não comem pastel

Escrevo este sob o impacto do espetáculo que vi ontem - Alvin Ailey American Dance. Já vi esta companhia várias vezes, mais do que posso me lembrar, menos do que gostaria. Considero o ballet contemporâneo (o clássico eu não tenho muita paciência, confesso) uma das expressões artísticas mais completas que conheço. Em se considerando a hipótese de uma máquina do tempo, iria direto para a década de 1920 Diaghilev & Les Ballets Russes, época em que Coco Chanel fazia os figurinos, Stravinsky a música, Jean Cocteau, Picasso e Matisse os cenários e Nijinski flutuava em cena - e por aí vai. (Também daria um pulo nas décadas de 1940/1950 para ver Billie Holiday ao vivo, mas isto é para outro post.)
Em New York, sou fã de carteirinha do Joyce Theater, e sempre que estou nesta cidade é uma de minhas primeiras paradas - sempre consigo ver bons ou excelentes espetáculos, e por preços as vezes irrisórios. Um país que tem sessões de ballet à tarde a preços populares tem claras intenções para com a cultura - o que não é o caso do Brasil, infelizmente.
Alvin Ailey é uma companhia vibrante, sensual, com programas claramente politizados - e tudo excepcionalmente bem executado. Ainda acho a platéia brasileira econômica em aplausos neste tipo de programa,e  a impressão que tenho é que se fosse qualquer cantora de axé ou alguma nulidade neo-sertaneja e a casa viria abaixo. Mas...
Voltando. Alvin Ailey é uma companhia que dá prazer. Não apenas o prazer visual - nisto Momix e Pillobolus são mestres. Não somente o prazer da qualidade da coreografia e do corpo de ballet, mas uma junção inexplicável de força, sexualidade, lirismo e empatia. 

(essa coreografia, Minus 16, era simplesmente arrebatadora)
O local do espetáculo ontem decididamente não ajudava, uma verdadeira vergonha expor uma companhia deste quilate a este tipo de arquitetura. Nosso Museu Municipal seria o local perfeito, mas o calendário desta casa é bissexto em todos os sentidos - tanto na qualidade quanto na frequência. O equivalente a esta situação seria servir o excelente foie-gras de Erick Jacquin na feira da praça Benedito Calixto aos sábados, entre o cheiro do acarajé frito e a fumaça da barraca do pastel. 
E falando em pastel - caloria que provavelmente os corpos dos bailarinos desta companhia nunca viram - ontem foi dia de pastel aqui em casa. Mas não aquela coisa imensa, cheia de espaço desocupado dentro de suas paredes, e sim a versão pernambucana deste, com carne moída bastante temperada, frito em óleo de girassol e polvilhado com açúcar. Uma fina iguaria, assim como o espetáculo de ontem. Apenas mais calórica.
Pastel de Carne Pernambucano
300 gramas de patinho moído
1 cebola finamente picada
3 dentes de alho finamente picados
1 colher de café de cominho 
1 pimenta dedo-de-moça
1/2 pimentão verde pequeno finamente picado
50 gramas de azeitonas verdes sem caroço
1 tomate sem pele nem sementes
1 colher de sopa de cebolinha picada
1 colher de sopa de salsinha picada
Refogar a cebola até murchar. Adicionar o alho e a pimenta picadinha sem as sementes (estas deixam muito mais ardido). Acrescentar a carne moída, mexer até que toda ela adquira cor. Acrescentar o tomate, o pimentão e as azeitonas, continuar mexendo. Coloque sal a gosto e pimenta do reino moída. Deixar em fogo baixo, acrescentar o cominho, a cebolinha e a salsinha. Corrija o sal se necessário, desligue e espere esfriar para rechear os pastéis. 
A massa de pastel eu uso esta DAQUI, da Akemi, uma blogueira com receitas fantásticas. E ela é daquelas que usa cachaça na massa - outra coisa que seguramente os bailarinos do AAAD não consomem...
Recortar a massa em círculos de aproximadamente 10 cm de diâmetro. Rechear, fechar as pontas e marcar com um garfo. Depois de recheados, fritar em abundante óleo quente - com cuidado para não queimar a massa. Colocar no papel absorvente e polvilhar açúcar com uma peneira. Sirva com um potinho de pimenta ao lado.


20 comentários:

  1. Adoro Pastei ... acho q é o salgadinho q mais gosto ... olhando este então ... aff ... boca escorrendo ... eu queeeeeeeeeeeeero!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. venha para cá que eu faço um almoço degustação de pastéis...

      Excluir
  2. Eu tinha todo um comentário elaborado para fazer... mas, dai... eu li pastel e foi tudo embora! ehehehe

    Adoro Pastel!! De carne, de queijo, de vento, tá valendo tudo! ehehe

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. de vento not! agora o de siri que eu faço, wow!
      abs querido!

      Excluir
  3. Eu gosto muito de ballet contemporâneo, embora tenha ficado anos no ballet clássico. Fiz aulas de ballet clássico por muitos anos em um conservatório aqui na cidade. Como eu era a bailarina da coxa grossa, e outras dobrinhas (pastel sempre passou na minha mesa), optei por mudar de andar no conservatório e fui estudar piano. Pelo menos em nenhuma audição recebi a avaliação: Pianista Robusta rsrs.
    Verdade, certa vez fui avaliada como uma bailarina Robusta. Mas eu acredito que a avaliadora era meio recalcada em não poder comer pastéis.
    Como eu sou mais feliz comendo pastel do que me equilibrando em uma sapatilha de ponta... Agora eu como muitos pasteis!!!
    Bêjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu não acredito nesta avaliação...e pelo menos seus pés não estão cheio de calos como os delas, não é?
      beijos querida.

      Excluir
  4. Eles não comem pastel, mas eu como! E ainda por cima não engordo!
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Olha, entendo seu desapontamento com o publico brasileiro, infelizmente não somos um povo culto. Cultura aqui é tratado como elitismo, como se o pobre não pudesse ter sensibilidade para admirar o belo e entender a arte, coisas da mentalidade tacanha de nossos governantes, que acham que população ignorante é voto certo, coisas da mentalidade retrograda do nosso povo que prefere novela a qualquer outro tipo de entretenimento que traga algum conhecimento.Enfim...
    Agora em relação ao pastel vou confessar: gosto muito dele também assim miudinho e bem recheado, mas apesar de amar comida agridoce não consigo simpatizar com esse açucar polvilhado sobre o pastel. Então comerei o meu sem açucar, assim economizarei calorias e poderei comer um a mais. ;-)
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dricka, será que infelizmente é só isso mesmo? Estou achando o povo tão mal educado...hoje no avião tive que solicitar à aeromoça que tirasse o passageiro que sentou no meu lugar, e que não queria sair - tinha pago caro, e queria sentar onde fosse. Sei lá, acho que estou vendo muito Downton Abbey e pegando os vícios...rs
      abs! (e experimente com o açúcar, vale a pena - e as calorias)

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. ai que delícia de pastel! nunca comi assim, com açúcar (e cominho...), mas vou experimentar. Já o ballé é uma paixão antiga, pena que os preços no Brasil sejam tão caros...
    bjs
    Lia

    ResponderExcluir
  8. Uma vez houve um workshop de dança com o Alvin Ailey aqui em Porto Alegre,nos anos 80, e eu jurava q ia ser bailarina..#sqn
    Depois teve um com o Jojo Smith,que foi o professor do John Travolta pros Embalos de Sábado à Noite e eu fiz tb,mas adivinha?Não virei bailarina....
    Agora,fã de pastel eu sempre fui,sou e serei!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bem vinda ao clube, Madi! sou louco por pastéis - ainda vou fazer um post a respeito. bjs!!

      Excluir
  9. eu sou muito fã de pastel. muito mesmo!
    e quem corre, malha, dança, pode comer também, uai!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. você pode comer sem culpa - tem abdomem definido (odeio isto...#ainvejaéumadroga...)

      Excluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. eu também quero e como bom pernabucano quero este!
    mwah!

    ResponderExcluir
  12. Super legal a coreografia que vc colocou ! Também admiro, na minha ignorância, claro, ballet contemporâneo, um tempo atrás estava até afiins de fazer, mas creio que seria preciso achar uma companhia da terceira idade ... hehe !
    Quanto ao pastel, faz parte do cardápio aqui em casa, mas é o paulistano, que minha sogra nos trás da feira toda quinta e as vezes faço o de forno, com um puco menos de calorias ...
    Quanto ao seu comentário sobre a tatto lá no blog, a idéia inicial eram duas rosas realistas preto e branco, mas o tatuador me mostrou esse trabalho aquarelado, que eu já conhecia, mas nem imaginava fazer em mim, e, gostei do desenho que ele me apresentou, e do resultado na pele, todas as outras minhas são p&b, as vezes estranho o vermelho no braço, mas gosto dela !
    Abraço !

    ResponderExcluir
  13. Dança infelizmente é uma arte que só admiro. Não pratico, alias nunca pratiquei. Não fazia parte do "ensinamento para a vida" na minha familia. Mas aprecio, mas gosto mais do classico que do contemporaneo.

    Quanto ao pastel....... aaahhh, quem não gosta? Com carne, com queijo, bem temperado e dos agridoces, que estão entre meus preferidos. Mas confesso, gosto mais da massa que do recheio...será algum antepassado italiano???? Rss

    Abraços Wair... é sempre prazeroso vir aqui.

    ResponderExcluir