food, art & spirits

food, art & spirits

quinta-feira, 17 de maio de 2012

a hora de parar

Hiato - solução ou interrupção de continuidade em um corpo, em uma série etc.; falta, intervalo, lacuna
Sabático - relativo ao sabá (Ex.: orgias s. da Idade Média - oba!): relativo a um período em que alguma atividade regular é interrompida.

Depois de 22 anos trabalhando na mesma empresa - correção, para a mesma empresa - sem férias longas nem sábados, domingos, feriados e noites compensadas, pois considerava que estava dirigindo minha energia para um bem maior (ponha o quanto és no mínimo que fazes -f.p.), precisei tirar 21 dias de férias para me recuperar de uma pequena cirurgia, banal mas chatinha. Como tenho a sorte de ter um negócio - a franquia desta marca em Recife, e ao mesmo tempo ter um apartamento muito bem localizado e instalado nesta cidade, a escolha era óbvia. Vamos portanto passar 20 dias em Recife, que, para quem conhece este blog, é matéria comum e constante aqui.

E então resolvi pensar como um novo executivo, um executivo tropical, que caminhava toda manhã na praia de Boa Viagem, mergulhava (dentro do possível, visto não saber nadar), tomava uma água de coco , e depois disso ia para casa, tomava café da manhã, via meus e-mails, e no começo da tarde já estava em minha loja, pronto, novinho em folha, ligeiramente corado pela caminhada sob o sol pernambucano, com a vista ainda ardendo do azul celeste. Mas estava sozinho neste período, meu companheiro sempre presente nestas horas não podia - também por questões profissionais - me acompanhar nesta "recuperação". E foi muito bom - o silêncio nos faz pensar mais do que de costume. Ficar algum tempo parado ouvindo o mar sem fazer nada faz seus pensamentos fluirem com a rapidez de um Van Gogh e com a precisão de um enxadrista russo. O tal do foco, só que sem entoar nenhum mantra e sem incenso.

E, neste ínterim, comer muito peixe - no caso, agulha frita -

caldinho de peixe e caipirinha de cajá


 
fazer munguzá nas noites quentes, tomar Vinho do porto branco gelado no terraço sentindo a brisa marítima, ter a chance de olhar de minha varanda (na parte de trás do apartamento) a Lua numa noite em que ela esteve pertíssimo de nosso planeta,


ler e reler Fernando Pessoa (segue teu destino, rega tuas plantas, ama tuas rosas - o resto é sombra de árvores alheias...)
 e rever seu ritmo de vida - se ele é prazeiroso ou não, se seu trabalho está lhe provendo apenas materialmente ou um pouco mais do que isto.
Quando voltei para São Paulo, fui falar com o presidente da empresa, já ciente de que eu a enxergava de outro modo. Muito embora tenha grande carinho e amizade por ele, pessoa excepcional, discordava dos rumos estéticos e conceituais da empresa e era opositor ferrenho da praxis corporativa que estava sendo lenta e gradualmente difundida por membros desta (que eu considero serem diametralmente opostas às atitudes generosas e éticas de seu presidente/fundador e de seu filho). E ao chegar fui cobrado de ter tirado férias em período inoportuno para a empresa - sendo que esta foi a primeira vez, em 22 anos, que tirei férias de verdade, e não diazinhos picados entre feriados. Aí percebi a verdade - já que a empresa não mudaria, mudava eu. Pedi demissão de forma calma, segura e irreversível, não sem deixar de expor boa parte de meus pontos de vista.
Portanto, de volta ao escritório tropical, de onde avisto o mar antes de sair de casa, sinto a areia quente sob meus pés e meu coffee-break se transformou numa simpática água de coco repousando em prosaico banquinho de madeira.


 E a loja de Recife, nossa loja (minha e de Eduardo) está linda, brasileira, moderna, internacional - modéstia a parte - talvez influenciada pelas cores locais

 e pela calma que invadiu meus pensamentos, quando não tenho mais que discutir com mentes menores e colocar meu talento - burilado ao longo de 25 anos de trabalho intenso - sob o jugo de quem não o tem

12 comentários:

  1. FEZ MUITO MUITO MUITO BEM!!!

    oxalá um dia eu visite a sua loja!

    ResponderExcluir
  2. Muito sucesso e muita água de coco nessa nova etapa da sua vida! (Também quero conhecer a sua loja!)

    ResponderExcluir
  3. Estamos juntos...... é o que importa....

    ResponderExcluir
  4. Desejo tudo de bom e podem contar comigo!

    ResponderExcluir
  5. Sucesso nessa nova etapa de sua vida...quer dizer...+++ claro!

    ResponderExcluir
  6. Wair, parabéns pela corajosa decisão de parar, refletir e mudar. desejo pra você e Eduardo muito sucesso nessa nova empreitada. damn the torpedoes, full speed ahead! :-) abraco!

    ResponderExcluir
  7. Wair, tenho uma admiração profunda e sincera pelos que interrompem coisas, linhas, planos. Enfim, admiro o que é verdadeiro!
    Parabéns aos dois!
    Marcelo

    ResponderExcluir
  8. Dar um "break" no rumo da vida profissional nao eh pra qualquer um nao.
    Janete Costa deve ter lhe dado uma maozinha, sure!
    O ambiente sereno e lindo " da nossa loja" me fez pensar assim.
    "Pernambucanidade"!!!
    Congratulations pela determinacao, e muito sucesso na nova empreitada.
    Nao se esqueca, porem, de que aqui somos " gulosos", nao suma nao!
    Bjk
    Mia

    ResponderExcluir
  9. Eu acredito que nesta vida é preciso arriscar-se e dá-se a oportunidades de ser várias pessoas, de viver várias histórias, parabéns por ser corajoso, quero acompanhar mais aventuras do executivo tropical.

    ResponderExcluir
  10. Wair, parece estranho dizer assim, mas parabéns por ser fiel a seus princípios (não deveríamos todos ser assim?).

    O mundo corporativo nos embriaga com grana, poder e status. E mesmo assim continua sempre pobre de espírito. Bach, Brahms, Machado e Clarice neles!

    Torcendo por mais sucesso ainda para você!

    Abraço
    Rogério

    ResponderExcluir
  11. Mandou lindamente, com classe. Um beijo

    ResponderExcluir