food, art & spirits

food, art & spirits

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

transtorno obsessivo culinário

Todo mundo pira um dia. Alguns bebem, outros saem xingando e batendo nas pessoas, outros saem comprando compulsivamente (já fiz isso no passado, hoje não mais - por falta de budget, e não de feelings). Eu arrumo coisas. Coloco os cintos todos com as fivelas do mesmo lado, separados por cor. O mesmo com as gravatas - que raramente uso, os lenços de bolso - que uso muito, os óculos, engraxo os sapatos, rearrumo as camisas, etc. Se a piração é heavy, esta ligeira loucura ultrapassa os limites do closet e vai para a estante, para a despensa, biblioteca, e saio uma mistura de Rose - a empregada Robot de The Jetsons e Sheldon Cooper, o maluco de The Bing Bang Theory.
Sábado passado foi "The Night". Eu estava tenso, enlouquecido, precisava fazer algo. Meu armário estava impecável. Os sapatos, brilhando. Os livros em ordem alfabética e tamanho. Eu tive que cair na cozinha...
Fiz caldo de músculo, e com este uma salada e uma sopa. Fiz um excepcional bolo de pêras - posto a receita qualquer dia. Fiz strogonoff, cozinhei lentilhas, gelatinas diversas, e enquanto rearrumava todos os armários da cozinha, mudando as panelas para outro armário, depois de dois Gin-Tônicas, algumas cervejas, três canecas imensas de café e dois vinhos do porto, vi um pacote de damascos e um de farinha de trigo abertos e pela metade, pedindo saída. E um resto congelado de peito de frango com molho de laranjas e gengibre de noites passadas atrapalhava a arrumação perfeita do freezer - eu tinha que dar um jeito naquilo. Descongelei o dito cujo, refoguei cebolas e pimentões amarelos, coloquei o frango em seu molho, acrescentei os damascos e engrossei o caldo com um tico de amido de milho. O Porto não tinha cortado o efeito da cafeína, então decidi fazer uma massa e transformar aquilo numa torta - aliás quatro, devidamente instaladas em ramequins. A cozinha mais parecia um laboratório de traficante colombiano - pó branco espalhado nas bancadas, canecas, copos, taças e garrafas vazias, e eu finalmente caí em mim. Eu parecia uma figura de Lucian Freud, abatido, exausto, quimicamente excitado às quase quatro da madrugada. Fui tomar um banho, abri o livro na cama e dormi na primeira página. 



19 comentários:

  1. Ó só, se quiser arrumar e cozinhar lá em casa, fica à vontade, viu? Também pode mandar só os (vários) marmitex...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. arranja a bebida que eu arrumo armário, estante, geladeira...
      abs querido!

      Excluir
  2. Cada um tem uma forma de extravasar. Eu nunca fui de descontar em compras, nem em arrumação. Meu ponto fraco era comer desesperadamente. Hoje sou mais contida, mas quando estou enlouquecida mesmo eu corro na esteira até não aguentar mais. Depois tomo um banho e caio na cama.
    O engraçado é que correr desesperadamente não me causa culpa, igual a comida me causava... louco isso.
    Espero que tenha se equilibrado novamente.
    Um bom final de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. já estou mais calmo. e mais gordo, tive jantar em casa todas as noites até ontem...
      abraços.

      Excluir
  3. a primeira parte de sua crônica parecia q vc falava do Bratz ... no entanto, Bratz nunca se descarregaria em uma cozinha ... rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. na próxima acho que vai sobrar para os cachorros...

      Excluir
  4. Kkkkkkkkkkkk!!!!!
    Eu só tinha essa agitação toda, nos tempos em que eu fumava um baseado sozinho em casa e danava a fazer mil coisas de todos os tipos...

    Heeheheheheheheehe..

    Viajei em seu texto homem de fino trato!!!

    Bj

    ResponderExcluir
  5. Só uma coisa a dizer: Não é TOC é TAG !
    Cafuné 3x ao dia, manhã, tarde e noite!
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Confesso que sou tapado para cozinhar.... Tanto que nunca ouvi falar em caldo de músculo...
    Bacana seu dom para cozinhar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc deve ter tomado quando criança, Ro.
      Abraços.

      Excluir
  7. As raras vezes em q me baixou a Rose (ótima lembrança!) e ataquei a casa com faxinas loucas,inclusive de madrugada,foi qdo.tomei umas boletas pra emagrecer,q não me deixavam dormir,e eu não sabia o q fazer com tanta energia,ahahaha

    ResponderExcluir
  8. Remédio para emagrecer? CADÊ, cadê? Rs

    ResponderExcluir
  9. Rapaz... que loucura hein! Mas queria esse caldo de músculo, adoro músculo!!! eheh [Vai Gordinho!]... olha, muito bacana poder transformar isso em coisas boas... melhor do que ficar "pensnado bobeira" ;-)

    Abração

    ResponderExcluir
  10. ah, num fala que o sheldon é maluco...

    ResponderExcluir
  11. Identificação total!!!Só que turnos diferentes. Passei o sábado na casa da minha mãe, arrumando de 11 da manhã a 11 da noite! Na minha casa, de vez em quando me baixa a Rose, mas a família Jetson tá aqui pra desarrumar,
    bjs

    ResponderExcluir
  12. Bate aqui colega! Que a gente sofre da mesmo transtorno...hehehehehe! E quero te ver dentro (ui) da gincana, visse?! Bjão!

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir