food, art & spirits

food, art & spirits

quarta-feira, 31 de julho de 2013

da coragem e outras virtudes

Bem, é preciso ter coragem para fazer algo já feito por outrem, sem incorrer no risco da comparação com saldo negativo. E no universo vigente das releituras - como se estas conseguissem o fôlego da criação original - as vezes o caminho toma liberdades desnecessárias.
Lincoln, o caçador de vampiros, é uma daquelas bobagens "da moda" - misturar clássicos da literatura com algo absolutamente trash. O resultado também é outra bobagem.


A über-famosa Monalisa de Leonardo da Vinci, bem como a cena da criação do Universo de Michelângelo Buonarroti, já renderam versões divertidas e/ou pretensiosas.



E falando em pretensioso, minha crítica recorrente - transformar algo perfeito numa "coisa" geralmente cafona, como o intitulado "mago da cozinha" (ô título brega!) fez com o pato no tucupi, um dos pratos mais particulares da culinária brasileira, como pode ser visto - se você tiver paciência e estômago - AQUI

Mas eu criei coragem, e fiz uma receita de uma "guru" particular, a Patricia Scarpin do delicioso TECHNICOLOR KITCHEN - brownies de chocolate ao leite. Ficaram perfeitos, e eu ainda ousei colocar nesta receita perfeita um elemento particular, um restinho
de pecãs que tinha no fundo do armário aguardando um fim mais nobre do que o envelhecimento inútil. Sinto, não tenho fotos pois os brownies tiveram saída súbita. Mas segue a foto do original, para abrir o apetite e a curiosidade deste blog de receitas e textos deliciosos.

Mas ainda me falta a coragem de assumir uma empreitada - copiar o cuscuz de camarões que minha mãe fazia. Era tão perfeito em sua textura e sabores, apimentado na medida certa, nem seco nem muito molhado, bom de tal forma que eu abria a geladeira e, se me deparasse com uma (raríssima) sobra dele, tirava largas fatias  e comia gelado mesmo, inclusive em horas impróprias como de madrugada ou antes do café da manhã. Ela não tinha medidas exatas para este prato, portanto a receita me foi legada na forma da lembrança, dos momentos em que eventualmente ajudava ela na mistura das farinhas de milho e de mandioca, ou na decoração da forma, ou experimentando várias vezes antes do término afim de acertar o sal e a pimenta.
Vou encarar este projeto no próximo final de semana, já com a certeza de não alcançar o resultado esperado. Pois sempre falta alguma coisa para matar cem por cento a saudade.

22 comentários:

  1. Me ofereço como voluntário para provar o projeto ... rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vossa Senhoria esteve em SP e nem deu sinal! #magoadecaboclo...

      Excluir
  2. que texto bacana, wair. gostei muito, e que final...
    quero provar esse brownie qualquer hora. me envia? =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. com o maior prazer - na próxima fornada, pq esta foi rápido.
      abraços, rapaz.

      Excluir
  3. O que faltará com certeza é a presença dela Wair, pois acredito que a receita ficará tal qual. O melhor livro é a memória. O seu cuscuz fará jus ao de sua mãe, se não pelo gosto, fará pela homenagem.

    Belo post.... como sempre.

    Beijos querido.

    ResponderExcluir
  4. interessante tem Skype? manda p meu email

    ResponderExcluir
  5. Que notícia boa saber que o brownie deu certo, adorei!

    Quando meu pai juntou os trapos com a mãe da minha irmã caçula, ela deu fim a quase tudo o que tinha sido da minha mãe - incluindo os cadernos de receita. Por isso, infelizmente, as comidas deliciosas que ela fazia se perderam.

    Teu post me deixou com lágrimas nos olhos, de emoção.

    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tks querida. Um forte abraço, e obrigado por ser fonte imensa de ótimos textos e receitas (e dicas de filme tb!)
      W

      Excluir
  6. Wair:

    Faço minhas as palavras do Bratz...hahahaha.

    Beijo querido e apareça no Lua, saudades de vê-lo por lá.

    ResponderExcluir
  7. É verdade,cuscuz qdo é bom,dá pra comer até gelado!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vamos ver se cumpro esta regra. cuscuz este final de semana!

      Excluir
  8. Falando bem francamente: #supercomeria teu cuscuz... hahaha! Sou voluntário, tzá? Hugzones, meu caro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. impressão minha ou você não vale nada!rs
      abraço imenso!

      Excluir
  9. eu me ofereço pra provar tudo que você faz! cada coisa gostosa!
    beijos queridão

    ResponderExcluir
  10. Relaxa, baby! Aquele russo deixa qualquer um sem fala... hahahahaha!

    ResponderExcluir
  11. CERTO que precisamos incorporar um cozinheiro/chef na lista... Tô pensando numa foto sua pra ilustrar a categoria... #queachas?!? Hehehehe! Bjs!

    ResponderExcluir
  12. Rapaz...

    Porque as melhores receitas são essas que nossas mães/tias/avós fazem e que não tem receita, nem medida certa?! Eu tenho uma dia que faz umas "loucuras"... é bom que ora vai 4, ora vai 1, ora vai nenhum ovo... e por ai vai.

    A boca encheu d´agua só de ouvir falar do cuzcuz... e não há nada mais gostoso do que uma fatia "roubada" na calada da noite.

    Um grande abraço e um obrigado pela visita no bloguinho!

    L.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. adoro estas receitas imperfeitas. lembro de uma super poética, que pedia "um fundo de rede de peixes"...pode ser mais impreciso e mais inspirador?
      forte abraço

      Excluir
  13. Hahahahaha! Teu comment foi perfect! Felizmente não sou a Geisy e ainda mereço comment teu... ;)

    ResponderExcluir